fotos por Rodrigo Ricordi

Lançado em janeiro deste ano aqui no Brasil, o curta de Fábio Brandão “Delphine” vem se destacando no cenário independente em importantes festivais mundo a fora, principalmente nos Estados Unidos.

Ao todo, já são doze prêmios conquistados pelo filme, que, inclusive, foi anunciado nesta quarta-feira (12) no Horror Hound Weekend. Não bastasse a inclusão em um dos maiores festivais de gênero do planeta, a obra de Fábio é a única sul-americana a participar do evento, que será realizado entre os dias 18 e 20 de setembro. Dessa vez, virtualmente por conta da pandemia da Covid-19.

“Delphine” também está circulando por eventos brasileiros, como o carioca Rock Horror Film Festival, um dos principais de gênero do país, que mistura cinema e música, também com atividades como palestras, encontros de cinema e mesas redondas. Tudo excepcionalmente online neste ano, também em função do coronavírus.

Teaser promocional de “Delphine”

Recentemente, a produção estrelada por Louise Clós, André Ramiro e Giovanna Muricy, fez bonito em Santa Catarina, na terceira edição do Festival de Cinema de Jaraguá do Sul, levando para casa o troféu de Melhor Filme de Horror/Suspense.

É digno de menção o fato de Louise e André terem disputado as categorias de Melhor Atriz/Ator com nomes que concorriam por longas-metragens, o que só reforça a relevância do curta de Brandão.

Você pode gostar:

Um possível remake para A Pequena Loja dos Horrores
Como economizar comprando pela internet
Jason Derulo quebra os dentes de Will Smith em partida de Golf

Em Jaraguá, ele ainda conquistou o prêmio na categoria Adolescência em Cena, com sua primeira obra, “Nós” (2012), em que divide a direção com Dario Gularte.

Giovanna Muricy em cena de “Delphine”

Além do Brasil e EUA, “Delphine” deixou sua marca no Couch Film Festival, um festival sazonal do Canadá, onde conquistou a estatueta de Melhor Elenco na edição de primavera.

Já no Hollywood Blood Horror Festival, outro festival americano, o filme nacional chegou a vencer cinco categorias em junho, se tornando o mais premiado do evento naquele mês.

“Realmente ele (“Delphine”) está sendo muito bem aceito lá fora. São festivais que, embora sejam virtuais nesse momento, têm curadoria. São cineastas, produtores, artistas americanos que escolhem. E a gente está brigando junto com eles. O filme tem alguma coisa que está encantando por lá. Talvez o estilo bem Edgar Allan Poe, que é um ícone nos Estados Unidos e o nosso filme é uma grande homenagem a ele”, opina Brandão.

Vale mencionar ainda a audiência por streaming que esses festivais vem alcançando durante a pandemia. A programação em Jaraguá do Sul, por exemplo, somada às cerimônias de abertura, encerramento e premiação, atraíram mais de 23 mil pessoas, que acompanharam o evento através da internet.

Nesta semana, “Delphine” marcou presença também no New York Film Awards, conquistando as categorias de Melhor atriz, para Louise Clós, e Melhor Curta Independente do Mês de Julho.

Confira abaixo todas as premiações conquistadas por “Delphine” até agora:

Couch Film Festival 2020
Melhor Elenco em filme de 20 a 30 minutos

Festival de Cinema de Jaraguá do Sul 2020
Melhor Filme de Horror/Suspense (“Delphine” também foi indicado nas categorias de Melhor Atriz e Ator, para Louise Clós e André Ramiro)

Hollywood Blood Horror Festival 2020
Melhor Drama/Terror
Melhor Atriz (Louise Clós)
Melhor Edição (Ricardo Danone)
Melhor Figurino (Gabrielle Leal)
Melhor Maquiagem e Cabelo (Ana Carla Ten)

Independent Horror Movie Awards 2020
Melhor Atriz (Louise Clós)

Los Angeles Cinematography AWARDS (LACA) 2020
Melhor Atriz (Louise Clós)
Melhor Atriz Coadjuvante (Raphaela Palumbo)

New York Film Awards
Melhor Atriz (Louise Clós)
Melhor Curta Independente do Mês de Julho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *