O curta brasileiro narrado em realidade virtual “A Linha”, venceu o Primetime Emmy Awards, o principal prêmio internacional dado a obras e profissionais da indústria televisiva.

O anúncio foi feito pela Academy of Television Arts & Sciences (ATAS), no último dia 01/09, e coloca o Brasil em destaque no cenário global de experiências imersivas.

 “A Linha” conta uma delicada e envolvente história de amor que se passa em uma miniatura da cidade de São Paulo em 1940. Os personagens principais são dois bonecos presos às suas rotinas: Pedro, um entregador de jornal, e Rosa, uma florista.

 A Linha é uma narrativa em realidade virtual (VR) totalmente pensada e desenvolvida para ser contada neste formato. Seu ponto alto nos diferenciais é permitir que o usuário interaja com a experiência usando o próprio corpo.

Com direção de Ricardo Laganaro, produção do estúdio ARVORE, vozes de Rodrigo Santoro (inglês) e Simone Kliass (português), a história de amor entre Pedro e Rosa, dois bonecos que vivem em uma maquete da cidade de São Paulo em 1940.

 Após ser indicada como finalista ao prêmio, “A Linha” passou pela avaliação técnica de um júri formado por 20 especialistas em experiências imersivas e precisou da aprovação unânime para ser declarada vencedora.

Você pode gostar: Os indicados ao Emmy 2020

O sucesso que o curte tem feito não começou agora, “A Linha” também foi premiada como “Melhor Experiência em VR” no 76º Festival de Veneza.

A história de amor de Pedro e Rosa

Pedro e Rosa, são dois bonecos em miniatura perfeitos um para o outro, mas que relutam em superar suas próprias limitações e viver uma história de amor.

Durante o inicio da imersão o usuário é transportado para uma versão em miniatura de São Paulo nos anos 1940, um cenário encantador em que Pedro, um entregador de jornais, repete todos os dias o mesmo percurso durante seu trabalho. A cada ciclo, porém, o personagem permite a si mesmo uma pequena escapada para colher uma flor amarela e deixar, anonimamente, para Rosa, a florista.

Tudo acontece sempre da mesma forma até que as rosas amarelas acabam. Pedro então é forçado a enfrentar seu maior medo: escolher um outro caminho para tentar encontrar novas flores. Essa pequena e ousada atitude revira totalmente o universo particular de Pedro, que passa a enxergar seu mundo sob uma perspectiva diferente e carrega o usuário sutilmente para o meio de um grande impasse criado pela mudança na rotina.

Trilha Sonora de pura brasilidade

Entre as diversas referências à cultura do Brasil e a cidade de São Paulo, o chorinho brasileiro composto pelo estúdio Ultrassom Music Ideas, leva os “expectadores” a viajar não só pela cidade de São Paulo nos anos 40, mas também na música que é um marco da época, e um toque de emoção aos corações nostálgicos.

A trilha sonora original tem assinatura de Gilson Fukushima e Ruben Feffer, que compôs com Gustavo Kurlat a trilha do longa de animação “O Menino e o Mundo”, indicado ao Oscar em 2016.

A cerimonia do Emmy’s 2020 acontece no próximo domingo dia 20 de setembro à partir das 21h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *