Nesta segunda-feira (31), a APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes escolheu os melhores de 2021, nas seguintes categorias: Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infanto-Juvenil e Televisão.

Em mais um ano marcado pelos impactos da pandemia de Covid-19, todos os setores da industria, em especial o setor cultural a premiação optou por seguir orientações de segurança sanitária, realizando a votação através de assembleia virtual.

De acordo com a jornalista Maria Fernanda Teixeira, presidente da APCA:

“É de fundamental importância celebrar e preservar a cultura, bem maior de um país, expressão artística de um povo que deve ser valorizada e incentivada. Somos fortes e sempre estaremos abraçados com o conhecimento e a criação, importantes valores e riquezas de uma sociedade. No ano do bicentenário da Independência, viva a diversidade, a inclusão  e os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 22.”

Há 65 anos, a Associação Paulista de Críticos de Artes realiza a premiação dos Melhores das Artes, um ritual de apontamento dos artistas, trabalhos e profissionais que mais se destacaram durante o ano em curso.

A APCA é uma entidade não empresarial e de caráter absolutamente independente, formada por quadro associativo cujos integrantes têm majoritariamente atuação profissional no exercício do jornalismo cultural ou exercício de crítica na área artística.

A cerimônia de premiação com a respectiva entrega dos troféus, prevista para acontecer ainda neste primeiro semestre do ano, está em fase de viabilização, com a APCA em busca de apoios e patrocínios para sua realização.

Conheça os vencedores do Prêmio APCA 2021.

ARQUITETURA

HOMENAGEM PELO CONJUNTO DA OBRA: Joan Villà.
GESTÃO CULTURAL: Miriam Lerner, Giancarlo Latorraca e equipe (organização social A Casa – Museu de Artes e Artefatos Brasileiros frente ao Museu da Casa Brasileira – gestão 2008/2021)
ATIVISMO URBANO: Movimento Parque Augusta

Votaram: Fernando Serapião, Gabriel Kogan, Guilherme Wisnik, Luiz Recamán, Maria Isabel Villac e Mônica Junqueira de Camargo.

ARTES VISUAIS 

EXPOSIÇÃO NACIONAL: Tunga, Conjunções Magnéticas- Itaú Cultural/Instituto Tomie Ohtake. RETROSPECTIVA: Lygia Clark (1920-1988) 100 anos – Pinakotheke Cultural.
PESQUISA/MEMÓRIA: Jaider Esbell (1979-2021) artista e escritor, teve papel fundamental na consolidação da arte indígena contemporânea.
EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL: Ideias- O legado de Giorgio Morandi CCBB.
FOTOGRAFIA: Terra em Transe no Museu Afro Brasil (600 imagens de 60 fotógrafos).
PERCURSO VISUAL: Rita Lee no MIS.

Votaram: Antonio Zago, Bob Sousa, Dalva de Abrantes, José Henrique Fabre Rolim, João J.Spinelli e Silvia Balady .

CINEMA

MELHOR FILME – Cabeça De Nêgo, de Déo Cardoso
MELHOR DIREÇÃO – Madiano Marcheti, por ‘Madalena’
MELHOR ELENCO – Intérpretes de ‘Marighella’
MELHOR FOTOGRAFIA – Gustavo Habda, por “Veneza” e “Acqua Movie”
MELHOR DOCUMENTÁRIO – “A Última Floresta”, de Luiz Bolognesi

Votaram: Flávia Guerra, Luiz Carlos Merten e Orlando Margarido.

DANÇA

ESPETÁCULO / PRESENCIAL: “ou 9 ou 80”, Clarín Cia de Dança.
ESPETÁCULO / NÃO PRESENCIAL: “Janela 43”, GRUA – Gentlemen de Rua.
COREOGRAFIA / CRIAÇÃO: “Aldeias Mortas”, Márcio Filho, Balé da Cidade de São Paulo.
INTERPRETAÇÃO: Mauricio de Oliveira, Laboratório Siameses, por “Da Natureza da Besta”.
PRÊMIO TÉCNICO: Ana Bottosso, Beatriz Gabriel, Danila Bustamante, Fábio Pazitto e Vic von Poser, Captação e Edição de Video de “SCinestesia”, Cia de Danças de Diadema.
PROJETO/PROGRAMA/DIFUSÃO/MEMÓRIA: Série de Videos para o Mês do Patrimônio Histórico Cultural, Cia Jovem de Dança de Jundiaí
GRANDE PRÊMIO DA CRÍTICA: Décio Otero e Marika Gidali, pelos 50 Anos do Ballet Stagium.

VOTARAM:  Cássia Navas, Henrique Rochelle, Iara Biderman e Yaskara Manzini.

LITERATURA

ROMANCE: Diga que não me conhece – Flávio Cafiero (Todavia).
CONTOS: Erva brava – Paulliny Tort (Fósforo).
POESIA: Risque esta palavra – Ana Martins Marques (Companhia das Letras).
TRADUÇÃO: Cantos, de Giacomo Leopardi, por Álvaro A. Antunes (Editora 34).
BIOGRAFIA: João Cabral de Melo Neto: uma biografia – Ivan Marques (Todavia).
ENSAIO: A vida nunca mais será a mesma – Adriana Negreiros (Objetiva).
INFANTIL: O mar de Manu – Cidinha da Silva (Autêntica).

Votaram: Felipe Franco Munhoz, Ruan de Sousa Gabriel e Ubiratan Brasil.

MÚSICA POPULAR

ARTISTA DO ANO: O rapper cearense Don L, pelo disco “Roteiro Pra Aïnouz, Vol. 2”. 
DISCO DO ANO: “Delta Estácio Blues”, segundo álbum solo da cantora e compositora Juçara Marçal.
ARTISTA REVELAÇÃO: Marina Sena, cantora e compositora mineira, pelo disco “De Primeira”, que levou a artista para a Times Square e colocou a cidade de Taiobeiras em destaque no mapa do pop nacional.

Votaram: Adriana de Barros, Alexandre Matias, José Norberto Flesch, Marcelo Costa, Pedro Antunes e Roberta Martinelli

RÁDIO

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI: Rádio Cultura Brasil (AM, FM e Portal TV Cultura)Rádio Cultura Brasil é a primeira emissora de São Paulo a migrar para a frequência estendida em FM, para o 77,9 MHz no dia 07 de maio de 2021.
MELHOR PODCAST: “Paciente 63”, com Mel Lisboa e Seu Jorge (Original e exclusivo Spotify).
MELHOR PRODUÇÃO: Emanuel Bomfim e Leandro Cacossi – pelo programa “Fim de Tarde Eldorado” (Portal e Rádio Eldorado FM, Spotify, Google Podcasts e outros)
MELHOR APRESENTAÇÃO: Danilo Gobatto – “Antenados” – (Rádio Bandeirantes, Portal Band, YouTube, Spotify e outros)
DESTAQUE EM CULTURA: João Marcello Bôscoli, pelo “Contraponto” (Rádio Cultura Brasil – AM, FM e Portal TV Cultura)

Votaram: Fausto Silva Neto, Marcelo Abud, Marco Antônio Ribeiro e Maria Fernanda Teixeira.

TEATRO 

ESPETÁCULO PRESENCIAL: Sueño (Dramaturgia e Direção Newton Moreno).
ESPETÁCULO VIRTUAL: As Aves da Noite (Dramaturgia Hilda Hilst. Direção Hugo Coelho) * Desfazenda – Me Enterrem Fora Desse Lugar (Cia O Bonde. Dramaturgia Lucas Moura. Direção Roberta Estrela D´Alva).
PRÊMIO NOVAS PROPOSTAS CÊNICAS: Estilhaços da Janela Fervem no Céu da Minha Boca (Coletivo A Digna. Dramaturgia Victor Nóvoa. Direção Eliana Monteiro), pelo tema social abordado e processo de execução da montagem.
PRÊMIO ESPECIAL: Livro Teatro de Grupo na Cidade de São Paulo e na Grande São Paulo, organizado por Alexandre Mate e Marcio Aquiles, com a criação do selo Lucias em homenagem a Lúcia Camargo.

Mariana Muniz, pela contribuição ao teatro e teatro-dança em São Paulo e, em especial, pelos espetáculos virtuais apresentados em 2021.

Votaram: Celso Curi, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, Gabriela Melão, José Cetra, Kyra Piscitelli, Maria Eugênia de Menezes, Miguel Arcanjo Prado e Vinicio Angelici.

TEATRO INFANTO-JUVENIL

MELHOR PROJETO HÍBRIDO: de pesquisa em Teatro-Educação: EDUKA/Banda Mirim.
MELHOR PEÇA-FILME (ou experimento cênico digital): QUASE DE VERDADE/Cia Los Lobos Bobos.
MELHOR ELENCO: MEU REINO POR UM CAVALO/Cia Vagalum Tum Tum: Edgar Bustamante; Tatiana Thomé; Christiane Galvan; Val Pires; Demian Pinto; Theófila Lima; Alexandre Maldonado; Jhuann Scharrye.
MELHOR DIREÇÃO: CRIS LOZANO, pela Trilogia audiovisual Paisagens Antes do Fim/Cia la Leche.
PRÊMIO DE VALORIZAÇÃO: de espetáculos em territórios periféricos da cidade: SANKOFA/Bando Jaçanã.

Votaram: Beatriz Rosenberg, Dib Carneiro Neto, Gabriela Romeu e Mônica Rodrigues da Costa.

TELEVISÃO

ATOR: Juan Paiva (Um Lugar ao Sol/TV Globo).
ATRIZ: Leticia Colin (Onde Está Meu Coração/Globoplay) e Paula Cohen (Nos Tempos do Imperador/TV Globo).
NOVELA: Nos Tempos do Imperador (TV Globo).
SERIADO/MINISSÉRIE: Passaporte para Liberdade (TV Globo/Sony Pictures TV/Floresta).

Votaram: Edianez Parente, Fabio Maksymczuk, Leão Lobo, Neuber Fischer, Paulo Gustavo Pereira e Tony Goes.

2 thoughts on “Confira os vencedores do prêmio APCA 2021”

    1. Valéria, todos arrasam demais! Ficamos felizes em ver o Ceara rompendo fronteiras nas premiações do sudeste! Nosso país é lindo demais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.