Ícone do site Cansei De Ser Pop

Os 25 melhores álbuns de 2021

Chegou a temporada de listas dos melhores dos melhores, segundo o Cansei De Ser Pop (CSP), esse é o momento em que nossos corações explodem de felicidade, cada álbum escolhido como um dos melhores do ano pelo CSP, é uma história, uma obra de arte, é como ler um livro, é como ver uma série, é como ser os personagens de cada canção, independente do seu estilo.

Para fazer parte da nossa lista, alguns critérios precisam ser preenchidos:

– O álbum precisa ser lançado entre 01 de janeiro e 31 de dezembro do ano vigente;
– O álbum precisa conter pelo menos 7 músicas;
– O álbum precisa está disponível nas plataformas: Deezer, Amazon Music, Spotify, Apple Music, Youtube e/ou SoundCloud.

Esse processo de escolha de quais álbuns vão entrar na lista é feito durante o ano todo, escutamos os discos de acordo que vão sendo lançados, e para chegar ao 25 Melhores Álbuns de 2021 é uma luta por isso optamos por fazer um sorteio para definir a ordem de publicação na lista, afinal todos os discos são incr!

QUAIS SÃO OS MELHORES ÁLBUNS DE 2021

25 – Noturno – Maria Bethânia

Estamos falando de Maria Bethânia, não tem argumento válido para contestar essa preciosidade que uma de nossas maiores cantoras nos entregou em 2021.

Noturno é um disco tão poderoso quanto Bethânia, é impossível não se calar e ouvir as mensagens expressas ali. Um dos melhores discos do Brasil.

24 – El Madrileño – C. Tangana

Lançado pela Sony, El Madrileño é o terceiro álbum de estúdio do rapper, cantor e compositor espanhol C. Tangana. Uma verdadeira preciosidade musical, muitos, muitos detalhes em todas as faixas, você também vai escutar muitas vezes cada faixa, até entender que cada vez que escutar, vai soar diferente e melhor.

23 – Heaux Tales – Jazmine Sullivan

No início de 2021 a norte-americana Jazmine Sullivan, indicada 11 vezes ao Grammy, lançou o delicado e envolvente álbum “Heaux Tales”. Mais um daqueles discos que você coloca e deixa a música conduzir tudo. Vale lembrar que Jazmine é grande amiga e colega de trabalho de Missy Elliot, se você nunca ouviu falar dela, fica aí uma referência.

23 – Meu Coco – Caetano Veloso

Após o hiato de 9 anos, Caetano Veloso volta aos lançamentos mais aclamados do ano com seu projeto “Meu Coco”, um longo processo criativo com diversas participações no processo visual do disco. Aproveitem e se deliciem com Caetano.

22 – Red (Taylor’s Version) – Taylor Swift

Taylor Swift mudou, ela mudou a indústria da música, ela mudou as regras das plataformas de streaming, e para além disso, sua voz está mais forte, e mesmo mantendo a mesma essência do seu aclamado disco de 2012, fica impossível não sentir a segurança da artista forte e agora mais do que nunca, dona do seu próprio trabalho com as regravações de sua discografia.

21 – Sensational – Erika de Casier

Muitas emoções, sensações e musicalidade estão no novo disco da Dinamarquesa/Portuguesa Erika De Casier, ritmos eletrônicos com letras suaves produzem um som low-submerso por onde você não deseja sair.

A voz acolhedora de Erika pode ser viciante, cuidado!

20 – Call Me If You Get Lost – Tyler, The Creator

Nesse mercado da música que estamos vivendo, digo isso com total consciência que tudo muda para melhor ou não a qualquer momento, mas não é errado falar que os números falam por si só quando estamos falando sobre “Call Me If You Get Lost”, do Tyler, The Creator.

19 – Gracinha – Manu Gavassi

Quem acompanhou o desenvolvimento da carreira de Manu Gavassi desde o inicio da Capricho, sabe o quanto o som dela mudou, mas não perdeu a essência da sua vida, com letras que falam de forma lúdica sobre as experiências da artista, Manu mostra que segue sendo um pequeno corpo com multitalentos.

18 – Chemtrails Over The Country Club – Lana Del Rey

Existem algumas maneiras de eternizar uma pessoa na mente de um grupo de pessoas, uma delas é a forma como Lana Del Rey, consegue inovar nas histórias de suas letras, mas com poucas mudanças no seu estilo vintage-girl-sad.

É muito errado dizer que os álbuns da Lana Del Rey são repetitivos, ela sempre inova no mesmo, mas mesmo assim a gente gosta.

Com melodias de tom trágico, amores dolorosos e muitos cigarros, álcool e depressão.

17 – Sour – Olivia Rodrigo

A geração Z emplacou seu primeiro mega astro do pop, sim, o primeiro disco da jovem Olivia Rodrigo, intitulado Sour, está em praticamente todas as listas de melhores do ano, afinal, os dramas vivido por Olivia retratados em suas letras autobiográficas tem conquistado o mundo todo e os críticos também.

16 – Planet Her – Doja Cat

Do afrobet ao pop, Doja Cat mostrou sua versatilidade e sua personalidade única com o álbum “Planet Her“, seu estilo divertido e suas músicas transmitem suas vibrações e o mundo gostou da ideia. do Rap ao Pop ela fez tudo muito divertido sonoramente e também visualmente.

15 – Batidão Tropical – Pabllo Vittar

Se tem uma coisa que a indústria da música gosta, os fãs gostam e os brasileiros mais que todos no planeta terra gostam é de uma boa farofa, e foi bem isso que Pabllo Vittar entregou no seu disco “Batidão Tropical“, diversos gêneros, referências e os vocais que Pabllo joga lá nas altura, cada dia com mais técnica e direcionamento.

14 – Donda – Kanye West

Uma homenagem a sua mãe “Donda West“, falecida em 2007, o último álbum do controverso Kanye é mais uma prova que todas as polêmicas ficam pequenas perto do talento do rapper.

Com músicas inovadoras e letras bem pessoais, o disco teve um lançamento cheio de previews em estádios norte-americanos e em agosto chegou ao público geral.

Os beats do álbum “Donda” são cheios de detalhes combinados com muita autobiografia em cada verso onde West fala sobre as mudanças na vida a pós a perda da mãe, os bons momentos vividos até ali em sua carreira e deixa nítido seu amadurecimento com artista.

13 – If I Can’t Have Love, I Want Power – Halsey

Com letras empoderadas e muita segurança em seu novo projeto, em “If I Can’t Have Love, I Want Power“, a cantora abusa dos vocais e mistura tudo com boas batidas de pop.

O disco chegou a ganhar uma versão cinematográfica fazendo sua exposição ser muito maior que seus outros trabalhos, e gerou uma conexão com as canções entre o público.

12 – DEJA – Bomba Estéreo

O grupo colombiano “Bomba Estéreo“, mais uma vez abre as portas do seu precioso mix de latinidade com música eletrônica e muitas referências ancestrais.

O novo álbum do grupo intitulado “Deja“, é toda essa mistura de sonoridades com as delicias de navegar nas melodias das palavras em espanhol.

11 – What’s Your Platinum Pleasure – Jessie Ware

A primeira versão do ousado álbum de estúdio “What’s Your Pleasure (2020)”, da britânica Jessie Ware, conquistou as paradas com seu toque de era Disco, muito brilho e globos de discotecas em sua divulgação muito prejudicada pela pandemia.

Após as melhoras dos eventos e formas de divulgação (incluindo shows presenciais) melhorarem com o avanço da vacinação nos países mais ricos em 2021, Jessie lançou uma nova edição do disco com 7 musicas inéditas e 1 remix da canção “Adore You“.

Mantendo o mesmo estilo “Disco Vintage Pop Futurista“, a edição “What’s Your Platinum Pleasure (2021)”, não ficou para trás e manteve as mesmas vibrações de sua primeira versão.

10 – Montero – Lil Nas X

O disco de estreia de Lil Nas X, leva o nome de batismo do artista que até pouco tempo estava nas listas de artista revelação das premiações do mundo todo.

Montero” expressa a complexidade e a diversidade de pensamentos, sentimentos e arte que existe dentro das ideias de Lil, suas canções falam sobre sexualidade, afrontam as religiões e pensamentos conservadores.

Um dos grandes destaques do projeto são as colaborações com grandes nomes da música: Elton John, Miley Cyrus, Megan Thee Stallion e Jack Harlow.

09 – The Bitter Truth – Evanescence

Parece que os anos não passaram para a banda de rock contemporâneo “Evanescence“, as canções do disco “The Bitter Thuth“, são uma delicia para os antigos fãs da banda, e soa como uma surpresa agradável para a cena do rock mundial.

Um trabalho maduro, consciente e cheio de nostalgia, não podemos deixar de citar a grande semelhança com “Fallen (2003)“, disco que abriu as portas da indústria para o grupo que segue desde os primórdios sob os vocais de “Amy Lee“.

08 – Justice – Justin Bieber

Muita gente ainda está presa na memória do muleke birrento que veio ao Brasil pichar muros e fazer algazarra. A questão é que o tempo está passando para Justin também, pelo menos na questão musical, seu amadurecimento é indiscutível.

Todos sabemos que para uma música fazer sucesso em 2021, o mínimo que ela precisa é ter uma dancinha viral no Tik Tok e um refrão para gerar o compartilhamento, muito além de todos esses requisitos para os hits do anos 2021’s, o álbum Justice, chegou com músicas muito bem produzidas e um hit atrás do outro.

07 – Solar Power – Lorde

Após seu hiato de 5 anos, Lorde entrega aos fãs seu novo álbum, inspirado em suas experiências pessoais em uma viagem a Antártica. Abordado suas conexões com o verão de seu país, a natureza abundante da Nova Zelândia e muita conexão com o Sol.

06 – Nonante-Cinq – Angèle

Talvez você não conheça o trabalho da cantora Belga, Angéle, a canção que lhe rendeu maior projeção foi “Fever“, presente no álbum de cantora britânica Dua Lipa. Mesmo que tudo pareça o contrário, este não é o primeiro, mas sim é o 3º álbum de estúdio de Angéle.

Cada vez mais autoral e independente, seu novo disco já deixa todo o poder de sua criatividade em evidencia ao misturar batidas eletrônicas com letras melódicas e experimentais.

05 – Céu – Um Gosto De Sol

Acredito que muitos ainda não saibam, mas Céu é uma das cantoras brasileiras mais aclamadas fora do Brasil, acreditem se quiser, mas Céu tem mais Grammy’s que álbuns.

Podem tentar enquadrar Céu em um estilo, mas a cada lançamento ela prova que entende de música e produz música. Um Gosto de Sol é um mix de tudo que a cantora experimentou e achou que cabia em seus momentos, sem padrões de idiomas, sem definição exata de estilo ou ritmo, música e apenas música.

04 – In The Meantime – Alessia Cara

O disco “In The Meantime” é uma das melhores coisas que ouvi em 2021, é complicado dizer isso, mas Alessia tem muito mais do que mostra, e ela já mostra muito com suas composições poderosas e envolventes que dominaram o mundo, este é o seu terceiro álbum de estúdio e seu trabalho parece cada dia melhor.

Batidas modernas com letras tão atuais e pessoais que quase entramos no disco junto a artista, confesso que a canção Bluebird foi como me tirar do chão quando começou. Jurei que fosse uma Bossa Nova. <3

03 – Daddy’s Home – St. Vincent

Excêntrica, ousada e muito a frente do tempo, mas não deixa de chegar perto da perfeição. Um deleite para os amantes de St. Vicente com seus instrumentos ousados e letras explosivas no seu novo álbum Daddy’s Home.

02 – De Primeira – Marina Sena

O nome do disco já diz como foi a chegada da carreira solo de Marina Sena no mercado musical brasileiro, foi De Primeira.

Muitas referências aos ritmos latinos com um sotaque delicioso do interior de Minas Gerais, mistura tudo com as nuances que só a língua portuguesa tem e chegamos ao divertido e sincero disco “De Primeira“.

01 – Ancient Dreams in a Modern Land – Marina

Uma marca da carreira da cantora Marina (ex-the diamonds), é sua habilidade para criar personagens capazes de expressar suas angústias e pensamentos.

Em seu novo álbum “Ancient Dreams in a Modern Land“, Marina explora personagens e renasce com reflexões sobre a sociedade atual a partir do ponto de vista feminino.

Sair da versão mobile