Cheio de atrações musicais da cena nacional e do circuito mineiro, o Breve Festival se tornou o primeiro evento de grande porte realizado em Belo Horizonte – após o início das flexibilizações impostas pela crise da Covid-19.  Marcado inicialmente para acontecer em 2020, o Breve acabou entrando para a lista dos projetos culturais afetados pela crise sanitária.

Com algumas ressalvas devido a organização e distribuição de espaços, o festival parece ter voltado com força total, claro, com a ansiedade do público para se reencontrar, dificilmente o calor humano – uma marca do público de BH – faltaria durante as mais de 13 horas de atrações.

Grandes artistas como: Ludmilla, Glória Groove, Majur, Clara X SofíaCéu, Pitty e Gal Costa movimentam uma multidão apaixonada pela música brasileira de uma lado para o outro em mais de 3 palcos e provaram o poder das mulheres na música brasileira.

Em um misto de emoção, afinal agora podemos voltar a ver nossos amigos em meio a outras rodas de amigos e já conseguimos – pelo menos em local aberto – nos sentirmos mais seguros até em voltar abraçar uns aos outros ao som de canções que embalaram tantas memórias criadas em uma mundo pré-pandemia.

Foto: Agência CSP

A EXPERIÊNCIA NO FESTIVAL

Festivais são sempre uma energia única, uma experiência, nunca é apenas um show ou apenas uma apresentação. São muitas pessoas unidas em um mesmo espaço, usando sua energia, suas vozes, seus pulmões para expressar algo que apenas elas sentem.

É importante destacar que cada festival já carrega com sua história, uma mensagem, por isso temos essas variedades de opções e estilos acontecendo pelas grandes capitais do país.

Shows em festivais na minha humilde opinião é um momento onde podemos curtir o som dos nosso artistas favoritos ao fundo e estar com as pessoas que gostamos. Não sei se consigo explicar, mas é como se a música fosse secundária, o que está acontecendo no palco a gente acaba vendo pela projeção nos telões e as pessoas ficam de um lado para o outro, então é mais um momento de encontro do que um momento de ficar obcecado no artista no palco.

Por acreditar tanto nesta teoria, até deixo uma distância grande do palco para aqueles mais emocionados – e que também são necessários para animar o show e passar energia para o artista em cena.

LINE UP COMPLETO DO BREVE FESTIVAL 2022

Sebastian Leger (Modular Live), Hosh, Juliet Fox, Gui Boratto, D-nox, Gop Tun Djs – Nascii e Tyv, Juliet Sikora, Millos Kaiser, Sarah Stenzel,Gal Costa, Ney Matogrosso, O Grande Encontro, Céu, Silva, Duda Beat, Djonga, Tropkillaz, Ludmilla, Pitty, Racionais, Glória Groove, Tuyou, Luiza Lian e Josyara, Clara X Sófia, Majur, Lamparina e a Primavera, Luiza Lian, Mientras Dura e a MASTERplano.

Foto: Agência CSP

SHOWS DO BREVE FESTIVAL 2022

O line up mesmo com nomes masculinos ficou marcado pela grandiosidade das mulheres, começando pelo show da Céu com Tropkillaz que abriu a minha tarde de shows, com um setlist bem diferente dos repertórios de show solo da cantora, embalada pelos beats de Tropkillaz a cantora céu interpretou músicas de artistas como Rihanna e Revelação.

A cena musical mineira foi fortemente representada pelo show da dupla Clara X Sófia que animaram seu público fiel no Palco Radar com seus hits dançantes e visual descolado. Uma pena este palco ter ficado tão mal posicionado dentro do evento, foi de partir o coração ver o palco onde estavam as placas indicando saída. Nós só conseguimos achar o palco depois de muito procurar e perguntar para diversos funcionários que em sua maioria nem sabiam da existência do mesmo.

Ludmilla, Duda Beat, Pitty e Gal Costa e Silva acredito que nem precisamos falar, mas de toda forma é muito lindo ver a variedade de estilos musicais e a qualidade dos nossos artistas no palco.

Ver a Pitty fazendo um show de Rock no Breve Festival para mim foi a mesma coisa de assistir Evanescence em 2011, no Rock In Rio. Qualidade de voz, letras, batidas e muito posicionamento políticosocial, afinal o Rock é isso.

Gal Costa nos deixou completamente embasbacado com sua postura, sua firmeza ao cantar e interpretar canções que marcaram a história do nosso país. A conexão que a artista desenvolve com o público é surreal e inexplicável já que a faixa etária predominante no evento eram jovens com menos de 40 anos.

Ludmilla é um evento à parte, agitou o Breve com uma variedade enorme de músicas do seu repertório e uma coisa que me deixou bem impressionado foi como seu setlist é diverso em gêneros musicais, passando pelo funk, pagode, pop e um R&B. No palco a cantora contou que após o show iria para o Rio de Janeiro se apresentar na festa do BBB 22 e já mostrando mais uma vez como é a vida de uma verdadeira popstar.

CONFIRA O VLOG DOS BASTIDORES DO CSP NO BREVE FESTIVAL

PRÓXIMA EDIÇÃO

O Breve Festival 2023, está marcado para o mês de Abril, ainda não confirmaram nenhuma data exata e nenhum artista no line up, mas já estamos de olhos abertos aos sinais!

3 thoughts on “BREVE FESTIVAL 2022 – A emoção do retorno manteve a energia no alto”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *