De forma audaciosa, Woody Allen não se poupa de nenhum assunto e avalia seus demônios, erros, sucessos e aqueles a quem amou e com quem trabalhou.

Neste livro, ele esmiúça sua conturbada relação com a ex-companheira Mia Farrow, estrela de vários de seus filmes, incluindo as acusações de abuso sexual contra Dylan, a filha adotiva do casal; o polêmico casamento com Soon-Yi; o rompimento da amizade com o banqueiro brasileiro Jacqui Safra, financiador de vários de seus filmes e como a política do cancelamento atingiu sua vida e obra.

Woody Allen – a autobiografia parte da infância do autor no Brooklyn passando pelo início da carreira como roteirista-assistente de grandes nomes da comédia televisiva norte-americana.

“Allen tem seus melhores momentos quando olha para si mesmo e debocha de suas neuroses. O diretor é habilidoso em romper com a vida real e elevá-la ao absurdo da comédia.” O Globo

Allen fala sobre as dificuldades desse processo, como quando fazia apresentações de stand-up em clubes obscuros, e relembra como migrou para o cinema com comédias pastelão que hoje se tornaram clássicos, como Um assaltante bem trapalhão.

Enquanto revisita seus sessenta anos de carreira e suas produções que marcaram gerações, como Noivo neurótico, noiva nervosaManhattan e Annie e suas irmãs, até suas produções mais recentes (Meia-noite em Paris e Um dia de chuva em Nova York), Woody fala sobre seus casamentos, romances, amigos, sua relação com o jazz, seus livros e suas peças.

Sobre o autor:

Allan Stewart Königsberg, mais conhecido como Woody Allen, nasceu em uma numerosa família judia do Brooklyn, na cidade de Nova York, em 1935. Escritor, clarinetista, roteirista e cineasta, escreveu e dirigiu mais de cinquenta filmes como Noivo neurótico, noiva nervosaManhattanHannah e suas irmãsA rosa púrpura do CairoVicky Christina Barcelona e Um dia de chuva em Nova York.

Fotos: Divulgação/James Devaney/Getty Images

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *