Desde que começamos a habitar e ter o nosso lar, nossa essência como ser humano pede por ambientes que nos entreguem os sensos de pertencimento e proteção. Nessa conjuntura, a arte do decorar se faz presente e superimportante e, hoje, a arquitetura de interiores se revela o que é essencial para produzir ambientes, seja ele novo ou não, de acordo com requisitos que nos completam.

A decoração é o objeto que embeleza, atribui forma, dá vida, impõe personalidade, torna o espaço adequado para uma certa necessidade e o mais importante: tem o poder de renovar facilmente o clima, sem que seja necessária a construção ou retirada de paredes ou estruturas.

Quando falamos em reinvenção dos espaços sem prejudicar o que já existe, a dupla do escritório Macedo e Covolo arquitetura é expert. Para tanto, a dupla composta pela arquiteta Giselle Macedo e a designer de interiores Patricia Covolo compartilham os caminhos que trilham para reinventar e inovar os ambientes por meio de escolhas acertadas no décor.

Confira algumas dicas das experts no assunto:

São diversas as situações que podem nos fazer levantar da cama com sede de mudança, como querer deixar a nossa marca em um espaço que não sentíamos ser nosso, ter novas necessidades ou apenas cansar de olhar todos os dias para os mesmos elementos. Porém, não é sempre que estamos dispostos ou com uma reserva financeira suficiente para grandes reformas.

Nesse caso, a melhor saída é substituir, construir além do que já existe, tentar mudar a aparência dos elementos ou incluir peças inéditas no ambiente são algumas das práticas que facilitam muito na hora de renovar.

Na área externa desse projeto residencial, a solicitação dos moradores era contar com um espaço integrado e propício à convivência e ao receber. Para tanto, a dupla do escritório Macedo e Covolo optou por estender a área coberta, que foi fechada por uma grande esquadria de alumínio e vidro. Dessa forma, criaram uma nova proposta de ambientação com poucos recursos, proporcionando mais conforto para as confraternizações | Foto: Eduardo Pozella

1. Papel de parede

O bom e velho (na verdade, novo) papel de parede é um dos meios que transformam as paredes e os cômodos com rapidez. Além de ser de fácil aplicação, o material muda o visual e agrega textura e a reconfiguração do ambiente, pois abre frente para a adição de outros elementos do décor, bem como novas possibilidades e combinações.

“Diferente da pintura, o papel de parede não faz sujeira e, dependendo do tamanho do ambiente, a instalação pode ser feita em poucas horas. Sem contar a enorme variedade de cores, texturas e a sua própria durabilidade”, afirma Giselle Macedo.

Porém, é valioso lembrar que essas características não atenuam a recomendação de contratar mão de obra especializada para a realização do trabalho como maneira de evitar a formação de bolhas, o excesso ou falta de material, entre outros problemas corriqueiros da falta de experiência no manuseio.

A intensidade do papel de parede com o verde das folhagens trouxe vida e uma identidade singular ao hall de entrada. No complemento, as arquitetas Giselle Macedo e Patricia Covolo apostaram no aparador com madeira clara e um arranjo com folhas. | Foto: Eduardo Pozella

2. Criação de novos estruturas

Para aqueles que não dispostos a encarar grandes reformas, mas ao mesmo tempo desejam a incorporação de novos ambientes, um caminho acertado é a criação de novos estruturas por meio de materiais como a madeira e os sistemas drywall.

Nesse projeto, as profissionais do Macedo e Covolo Arquitetura investiram em um pergolado de madeira para atender uma das necessidades primordiais dos moradores: o desejo de confraternizar, com todo conforto, com os familiares. A estrutura, que conta com uma cobertura de vidro, abraça e acolhe em qualquer momento, faça chuva ou faça sol. | Foto: Eduardo Pozella

O drywall é mais uma das saídas para construir com economia e facilidade. A estrutura pré-fabricada, composta por uma base de aço galvanizado e chapas de gesso, acumula múltiplas funções: além de paredes e forros, a criação de móveis e nichos sem quebra-quebra.

“Ainda por cima, conseguimos embutir a iluminação e os projetos de acordo com nossa imaginação”, ressalta Patricia.

Realizada, impreterivelmente, com mão de obra especializada, o processo é muito rápido: em um único dia, dois profissionais conseguem executar até 30m².

“Considero o drywall um aliado quando precisamos reduzir os custos da reforma e resolver questões ligadas ao isolamento termoacústico”, atribuiu Giselle.

3. Envelopamento

Partindo para o micro, o envelopamento é a saída com melhor custo-benefício que podemos encontrar para modificar a estética de um projeto habitacional. A prática consiste em colar um adesivo na superfície de uma peça – um meio muito mais em conta e que pode ser efetuado até mesmo pelos próprios moradores da casa.

Por meio desse recurso, até mesmo elementos maiores, de difícil manejo e que demandam uma boa reserva financeira para serem trocados, ganham uma nova aparência. Entre as possibilidades, móveis, portas, cubas e geladeiras.

4. Substituir itens

Elementos do décor como torneiras, bancadas de banheiro ou cozinha, móveis pequenos e soltos, como mesas de cabeceira, são de fácil manejo e não demandam tanto esforço ou uma reserva financeira muito grande, sendo assim, perfeitos para renovar o ambiente sem grandes reformas.

Pequenos detalhes como um vaso, uma peça decorativa ou um banquinho com uma cor diferenciada são capazes de adicionarem um novo ar para o ambiente. | Fotos: Eduardo Pozella

5. Mudar os acessórios

A inclusão de novos itens de decoração ou a mudança daqueles já existentes é a parte mais simples e fácil durante reconfiguração do décor. Um simples deslocamento de objetos pequenos, a pintura de um vaso, a aquisição de novas almofadas ou um novo tapete, também podem fazer toda a diferença.

Nessa sala de estar, as especialistas se preocuparam em harmonizar as almofadas com o restante do décor, mostrando a combinação perfeita entre o mobiliário e itens decorativos. | Foto: Eduardo Pozella

A designer de interiores Patrícia Covolo parte para a esfera íntima e dá algumas dicas de como mudar a decoração.

“No banheiro, podemos trocar o espelho e mudar os acessórios, como o porta toalhas e a lixeira. Na cozinha, temos a possibilidade de adicionar quadrinhos e se possível, instalar uma barra de acessórios. Na varanda, podemos investir em vasos, plantas, a substituição de uma luminária de embutir por pendente e a mudança de almofadas e enfeites. São infinitas a possibilidades que podemos explorar para impor personalidade e causar sensações por meio de uma nova decoração”, ressalta.

Uma simples manta no sofá ou nas poltronas podem fazer toda a diferença, sem a necessidade de trocar os estofados do mobiliário. As cortinas são itens de grande presença e a mudança propicia um novo olhar, assim como quadros, luminárias e aromatizadores.

Sobre as especialistas:

Giselle Macedo, arquiteta e urbanista graduada pelo Mackenzie e Patricia Covolo, graduada em Artes Plásticas pela Universidade São Judas e em Design de Interiores pela Panamericana Escola de Arte e Design, associaram-se em 2009 e, desde então, desenvolvem projetos de arquitetura e design de interiores nas áreas residencial e comercial. Ambas acumulam vasta experiência em arquitetura, atuando em renomados escritórios desde 1998 e 2004, respectivamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.