Os personagens que compõem a cultura carioca do dia a dia protagonizam a segunda temporada da websérie documental “Verdadeiros Construtores”, promovida pela Tegra Incorporadora. Os minidocumentários, exibidos no canal da empresa no YouTube, resgatam afetivamente histórias que fazem do Rio de Janeiro um lugar único para se viver – da rotina do garçom mais antigo de um dos símbolos gastronômicos da cidade à trajetória de um ambulante icônico na Zona Sul e à visão de uma empresária que mantém vivo um reduto da Bossa Nova.

Produzida pela produtora Manakah, com acompanhamento da agência FCB Brasil, a segunda temporada conta com três minidocumentários, divulgados no canal da Tegra no YouTube, sempre às quintas-feiras. O primeiro episódio conta a história de Orlando Duque, que há 69 anos atua como garçom em uma das confeitarias mais tradicionais do Brasil, a Confeitaria Colombo. Ele começou a trabalhar no estabelecimento, que tem 125 anos de história, com apenas 14 anos, varrendo o chão: “Sou do tempo em que, para entrar na Colombo, tinha que usar terno e gravata”. Duque, que tem a carteira de trabalho exposta como troféu na confeitaria, já serviu até presidentes como Juscelino Kubistschek. Inclusive, o garçom mais antigo da Colombo conheceu a esposa no tradicional espaço carioca.

O segundo episódio traz a história de um dos principais redutos da bossa nova no Rio de Janeiro, o Beco das Garrafas, na Rua Duvivier, em Copacabana. E, para falar sobre o local, Amanda Bravo, filha do músico Durval Ferreira, fundador do Beco. “Ao se apresentar ali, a gente sente que não está sozinho”, diz Amanda, cantora, empresária e responsável pela retomada do Beco em 2014, depois de 30 anos fechado. Inaugurado no fim da década de 1950, o Beco já recebeu grandes nomes da música brasileira, como Sergio Mendes, Raul de Souza, Sylvia Telles, Marisa Gata Manda, Ronaldo Bôscoli, Leny Andrade, entre outros.

E, por fim, Luiz Soares da Silva, conhecido como Ligeirinho do Mate, que há 26 anos circula pelas areias de Copacabana vendendo mate de galão, com ou sem limão. O paraibano chegou ao Rio de Janeiro em 1984 e, em 1995, foi conhecer a praia. “Foi assim que comecei a trabalhar, primeiro nos fins de semana e, depois, todos os dias”, relembra ele, que admite ter um segredo especial para o seu mate: mas prefere mantê-lo em segredo.

Para Marcelo Parreira, gerente geral de incorporação da empresa no Rio de Janeiro, a Tegra quer demonstrar que tem uma relação de amor com a cidade. “Levamos três meses, entre as pesquisas e as gravações, para produzir esses minidocumentários, e encontramos histórias que nos conectam ao melhor do Rio. A Tegra quer dar uma demonstração de carinho à cidade, que acompanha desde o início o desenvolvimento da companhia”, explica.

A websérie “Verdadeiros Construtores” integra a campanha institucional “Tegra 43 anos. Nascida em nossa inspiração”, que mostra os cartões-postais da paisagem carioca sob uma perspectiva diferente – a partir das varandas dos empreendimentos imobiliários desenvolvidos pela Tegra. Na internet, a incorporadora também lançou playlists especiais no seu perfil do Spotify, homenageando o samba e o espírito da população.

Primeira temporada

Em fevereiro deste ano, a Tegra lançou a primeira temporada da série “Verdadeiros Construtores”, centrada em personalidades que marcaram a cidade de São Paulo. Os homenageados na leva paulista de minidocumentários foram Antônio de Souza Neto, o Toninho, síndico da Galeria do Rock; Marco Antônio Loreira, o dono do bar Mané, que inventou o tradicional sanduíche de mortadela do Mercado Municipal; e a arquiteta Mirthes Bernardes, criadora da icônica calçada paulistana, que remete aos limites geográficos do Estado de São Paulo. Os primeiros três episódios alcançaram mais de 500 mil visualizações no YouTube e também podem ser assistidos no canal da incorporadora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *