O ano era 2006, estreava nos cinemas o filme que logo se tornaria um dos maiores clássicos do últimos 15 anos, “O Diabo Veste Prada“. Inspirado no livro de mesmo nome – escrito por Lauren Weisberger, ex-assistente da famosa editora da revista Vogue, Anna Wintour – a produção é até hoje uma das favoritas dos fãs de moda, conquistando também o público que no fundo, nem se importa com essa que é uma das industrias mais poderosas do mundo.

Com um elenco com nomes aclamados e premiados pela indústria do cinema e televisão: Anne Hathaway, Maryl Streep, Emily Blunt e Stanley Tucci tornaram “O Diabo Veste Prada” o filme mais próximo dos sonhos de todos os apaixonados pela moda.

Sinopse

Andy, uma jovem recém-formada em jornalismo e com grandes sonhos de trabalhar em um grande veículo de comunicação como “The New York Times“, “Daily News” ou “NY Post“, vai acabar conseguindo um trabalho na conceituada revista de moda Runway e sua função é ser assistente da renomada editora de publicação Miranda Priestly.

Confira 15 curiosidades sobre esse sucesso dos cinemas:

1- A modelo Gisele Bündchen, que aparece ao lado de Emily Blunt nos corredores da revista Runaway, só topou participar com a condição de que ela não interpretaria uma modelo.

2- O icônico cabelo branco de Miranda Priestly foi uma sugestão de ninguém menos do que Meryl Streep.

via GIPHY

3- Meryl também mudou o tom de voz da personagem que, originalmente, seria gritona e estridente. A atriz achou melhor criar um tom de voz mais baixo e de desprezo.

4- Todas as cenas de “O Diabo Veste Prada” foram gravadas em 57 dias em Nova York e Paris.

5- Por conta do orçamento, não foi possível levar Meryl à Paris para filmar suas cenas, por isso utilizaram chroma key durante as cenas em que ela aparece na Mercedes. Já nos planos gerais, foi utilizada uma dublê.

via GIPHY

6- O estúdio queria Rachel McAdams no papel de Andy, mas a atriz recusou o convite.

7- Anne Hathaway já revelou que foi a nona escolha para o papel da personagem principal. Antes dela, atrizes como Scarlett Johansson, Natalie Portman, Kate Hudson e Kirsten Dunst foram consideradas.

8- Merly Streep ficou deprimida durante as filmagens. A atriz usou o “método de interpretação” para dar vida à Miranda, o que mexeu com seu emocional.

via GIPHY

9- Quando Meryl aceitou trabalhar no filme, ela disse que queria uma cena que capturasse bem o mundo da moda, o que resultou no clássico monólogo do suéter azul-celeste.

10- O New York Mirror, jornal que Andy é contratada no final do longa, realmente existiu, mas encerrou suas atividades em 1898.

11- A personagem Emily não seria britânica, mas Blunt fez a audição com seu sotaque britânico e todos gostaram tanto que resolveram mudar esse detalhe no roteiro.

12- O filme utilizou figurinos avaliados em mais de US$ 1 milhão. A figurinista Patricia Field precisou pedir alguns looks emprestados para compor o guarda-roupa do longa, já que tinha o orçamento de apenas US$ 100 mil para gastar.

13- A peça mais cara de todo o figurino foi o colar do joalheiro Fred Leighton, usado pela personagem de Meryl Streep. Na época, o item custava US$ 100 mil.

14- Profissionais da indústria da moda não queriam ajudar na produção do filme por medo de serem rejeitados pela editora Anna Wintour, principal inspiração do longa.

15- Um dos livros cenográficos usados como o manuscrito de “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, que Andy consegue para as filhas de Miranda, foi leiloado por US$ 586. O dinheiro foi doado para a ONG Dress for Sucess.

Onde assistir o filme “O Diabo Veste Prada”?

O filme “O Diabo Veste Prada” foi lançado nos cinemas em 2006, logo em seguida ficou disponível para o formato DVD – ainda muito popular na época do lançamento. Com a chegada dos streamings e a internet se popularizando o longa passou por várias plataformas, até que hoje, finalmente você pode assistir “O Diabo Veste Prada” na plataforma Star+ ou (Star Plus).

Quem é o vilão no filme O Diabo Veste Prada?

Essa é uma questão muito questionada entre os fãs do filme, se você olhar bem por todos os ângulos, vai perceber que na indústria moda o maior vilão é o “EGO“. No fundo todos tinham seu interesse em manter aquela roda girando e quem não estava no sistema, estava em busca de uma oportunidade de entrar.

Os termo “ego” e “superego” são usados na psicanálise para explicar um pouco dessa inexistência do vilão. Emily queria ir para Paris, Andy queria experiência com uma profissional renomada como Miranda, já a editora Chefe da Runway, chegou ao top da sua carreira e seus conflitos estão mais ligados as escolhas que precisa fazer entre família e trabalho.

Um outro ponto de vista é colocado em ‘xeque” com a trama de Andy e Miranda é um momento da história onde Miranda e sua assistente estão ligadas pela ambição profissional, mas o namorado de Andy é muitas vezes colocado como antagonista da trama, já que aceitar o fato de Andy entrar para tão paradoxo mundo da moda o fazia se afastar dela.

A questão central pode não ser quem é o vilão, mas sim que todos são vilões de suas próprias escolhas, já que pelo Ego de manter os planos de ter um carreira jornalística aclamada, Andy deixou de celebrar o aniversário do namorado, e seu SUPEREGO já estava fazendo essa “cobrança” por que no final, escolher é sempre perder.

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *